segunda-feira, 16 de junho de 2008

Homenagem a Mário Lins Peixoto Filho

Hoje faz uma semana que morreu um dos meus melhores e mais antigos amigos... escrevi esta poesia, uma das mais tristes que já cometi... nem título tem ou terá.

Noite espessa, escuridão profunda
Ao fundo, lamúria e gemido
Enfim, uma luz se acende
Como uma nau em mar revolto
Balança, balança, balança
E balança novamente
Mas a luz trêmula e amarelada
Continua acesa
Reafirmando
Que a vida segue
Apesar dos pesares.

2 comentários:

alexandra disse...

è eu sei bem seu sentimento,também o conheci e o tempo que passamos juntos foram inesquecíveis, que deus sempre nos encoragem de vivermos com a sua falta.
Ele leva junto suas paxões pelo tricolor a ferrari e o jazz.
Um abraço

Daniela disse...

Daniela diz:

O Marinho era a nossa alegria!Com ele certamente se foi uma parte da minha vida, mas tenho certeza que ele quer que as pessoas que tiveram a felicidade de conviver com ele, se lembrem dele sempre sorrindo e dando aquelas risadas boas.
Foi um anjo bom que passou por aqui, pois só fez o bem e deixou coisas boas pra todos!
Certamente está descansando na casa do PAI , libertado dos seus sofrimentos com sua doença e isto nos deve servir de consolo.
Um abraço.
Daniela